sexta-feira, 25 de setembro de 2009

História das Coisas (novamente)



A pedidos, postamos novamente o vídeo "A história das coisas". A bem da verdade, o título poderia ser outro. Trata-se de uma análise profunda sobre o mecanismo explorador que marca a economia de mercado, na qual estamos submersos. A história das coisas é, na realidade, a história de milhões de pessoas, das plantas, dos animais, do solo e da água, transformados em mercadoria. E você vai se perguntar: E agora? Tem saida? Sugiro que após ver o vídeo você leia neste blog o artigo de F. Capra, ecoalfabetização e sustentabilidade. E deixe sua opinião. Ela é muito importante para nós e para quem visita este blog. Um abraço.
Afonso Murad

45 comentários:

  1. Em A História das Coisas, afirma-se que analistas dizem que não temos tão pouco tempo livre desde a época feudal... Interessante. A sociedade humana está caminhando para o momento em que o atual sistema tornar-se-á insustentável. Afinal, “não se pode gerir um sistema linear num planeta finito indefinidamente”. No entanto, ainda assim, trabalhamos tanto e para um sistema que prejudica não apenas o meio ambiente, mas o próprio ser humano. Mudanças climáticas nunca antes ocorridas em tão pouco tempo colocam em risco a sobrevivência do próprio ser humano e de diversos seres vivos. Enquanto isso, a taxa de felicidade declina. Afinal, não encontramos tempo para aproveitar o nosso tempo livre. Então, as pessoas tendem a fazer, majoritariamente, três atividades: trabalhar, comprar e assistir televisão. Esta nos estimula a comprar mais e, para isso, temos que trabalhar ainda mais. Nessas condições, cabe perguntar: estamos realmente vivendo? Dedicamos grande parte do nosso tempo para coisas que não nos propiciam felicidade e que atuam em um sistema falido e prejudicial para o planeta. Se temos um tempo finito na Terra, que ele seja bem vivido e que contribua beneficamente para a evolução do planeta e para a nossa felicidade. É possível mudar. Aliás, é necessário mudar. “Há quem diga que é irrealista, idealista, que não pode acontecer. Mas eu digo que quem é o irrealista é quem quer continuar pelo velho caminho; isso é que é sonhar. Lembre-se que a velha forma não aconteceu por acaso. Não é como a gravidade, com que temos que conviver. As pessoas a criaram, e nós também somos pessoas. Por isso, vamos criar algo novo.”

    ResponderExcluir
  2. O vídeo "A história das coisas" sugere um tema extremamente importante: o desenvolvimento. Desde a Idade Média, o mundo vem sofrendo importantes mudanças. Não só o ser humano é colocado em pauta, mas também a água, os animais, as plantas e o meio ambiente. As pessoas mudaram drasticamente seus objetivos e suas perspectivas de vida. O mais importante é o trabalho e o dinheiro. E, devido a essa mudança, as pessoas estão gastando mais, ficando mais cansadas e , consequentemente, esquecendo partes importantes de suas vidas, como a família. O que é necessário é abrir os olhos para ver o que realmente é importante, isto é, com essa atitude o homem está degradando o meio ambiente e acabando com aquilo que é nosso por direito: o planeta Terra. O grande problema é que se não repensarmos em nossas atitudes hoje, amanhã nossas gerações estarão extremamente prejudicads e não haverá formas de reaver os danos causados. Por isso, é possível dizer que ainda há chances de salvar o planeta em que vivemos e garantir que a diferença seja feita.

    ResponderExcluir
  3. O video "Historia das coisas" e muito interessante, e ressalta um dos temas mais preocupantes da atualidade: o desenvolvimento insustentavel. Hoje, e evidente que o ser humano ,no seu processo de evolucao e desenvolvimento urbano, relegou a segundo plano o meio ambiente. O sistema capitalista ,durante muitos anos, transformou a natureza em um instrumento para o alcance de seu proprio lucro:retirou materias primas para a fabricacao industrial ,lancou residuos toxicos prvenientes das fabricas, desmatou florestas e devastou ecossistemas.O video,nesse sentido, e um instrumento de conscientizacao dos maleficios que o homem traz a si proprio quando destroi a natureza.A necessidade de mudar os habitos de consumo, de valorizar a natureza e de conciliair o desenvolvimento com a preseRvacao ambiental torna-se urgentes nos dias atuais.E,atraves da participacao de todos, essa mudanca ainda pode se tornar uma realidade.

    ResponderExcluir
  4. "História das coisas" é um vídeo que alerta o ser humano para a mais latente necessidade do planeta: a revisão dos padrões de consumo, a viabilização de modos de produção menos agressivos à natureza e a reciclagem e reutilização de materias. Percebe-se que a Terra já manifesta os primeiros sinais de exaustão de um sistema que há séculos vem sofrendo com o descaso do homem no que tange a sustentabilidade de suas atividades. Dessa forma, somos levados a refletir se é a partir desse atual e incongruente modelo de exploração dos recursos naturais que queremos pautar nossa relação com o meio ambiente. Haja vista que o recente modelo de consumo chega até a ser irracional (já que não temos bens pela qualidade de vida que deles se depreende, mas pelo status que cada um nos fornece diante de nossos amigos e colegas), urge que todos nós mudemos a nossa postura de vida, afim de que não sejamos ignorantes a ponto de destruírmos o bem mais fundamental a nossa existência: o planeta Terra.

    ResponderExcluir
  5. “História das coisas” pode ser entendido como história do mundo, de cada um de nós. O vídeo alerta para a substituição do ser pelo ter, da loucura capitalista em que estamos inseridos. Alerta para o suicídio que cometemos a cada dia. Nosso planeta não suportará tamanha intervenção desastrosa, tamanho descaso com a necessidade de reaproveitamento de tudo que produzimos.
    Nós não podemos mais sustentar um sistema linear em um planeta onde a organização cíclica é imprescindível. Agora, talvez mais tarde do que o necessário, é urgente que cada um pense e repense cada escolha de compra, cada incentivo a produtos que podem ter sido estrategicamente elaborados para que daqui a poucos meses o consideremos obsoletos, inúteis.
    Pessoas são importantes, a vida, de todas as formas, é o mais importante. A economia deveria se adaptar ao bem estar dos cidadãos, e não escravizá-los na ditadura do “compre”. Pensa nisso...

    ResponderExcluir
  6. "Hisótria das coisas" faz análises excelentes! É impressionante perceber o quanto nossa vida é comandada pelo sistema. O estímulo insessante ao consumo faz com que o capitalismo tome conta de nossas ações, que passam a ser dedicadas ele. Comprar é o que mais importa, a vida fica em segundo plano. Não é possível que fiquemos nas mãos das corporações, que as propagandas nos façam sentir-nos lixo e que o bem estar real (estar com a família e com os amigos, investir em um hobbie) fique para trás.

    ResponderExcluir
  7. Interessante a análise feita no vídeo "A História das Coisas". A indústria do consumo esconde verdades e tenta a todo custo mante-las longe do conhecimento da população. Iniciativas como a deste vídeo é louvavel. A super-exploração do meio ambiente e da populaçao como um todo deve acabar. A procura de alternativas sustentáveis e modernas é um dos grandes desafios do século XXI. Devemos saber valorizar emoções e sentimentos, deixando de apreciar e seguir o materialismo americano. O "american way of life" mostrou-se anacrônico. Um novo capitalismo está para surgir, que valoriza o ser-humano e seja mais justo.

    ResponderExcluir
  8. "História das coisas" faz uma brilhante análise acerca dos padrões de consumo de nossa sociedade.Somos vorazes consumidores, não nos importamos com as consequências que esse consumismo pode gerar na biosfera. Assim diante dessa situção, é fundamental que todos revejam seus padrões de consumo. Medidas como a reciclagem e a reutilização são fundamentais para que existam recursos para as futuras gerações. A Terra é um sistema finito, se nao pensarmos nisso, as consequencias podem ser drásticas.

    ResponderExcluir
  9. O vídeo "História das Coisas" nos desperta para uma realidade alarmante: se continuarmos a tratar o mundo como o tratamos hoje, em pouco tempo os recursos naturais se esgotarão. Ao longo do vídeo percebemos que há uma grande falha no sistema de consumo mundial, uma vez que ele é linear. Grande parte dos produtos que consumimos são jogados fora em menos de um ano. Esse lixo é, muitas vezes, queimado e as substâncias tóxicas presentes nele são liberadas para a atmosfera. A solução ideal seria se todos reduzissem o consumo, reutilizassem e reciclassem. Apenas assim reduziremos o impacto que causamos no nosso planeta.

    ResponderExcluir
  10. A boietica tem sido trabalhada na escola com o professor e com isso pude perceber o significado do capitalismo e da industrializacao quando tratamos da natureza. Com os absurdos meios de producao temos extraido materia prima sem nos preocuparmos com o meio ambiente e o equilibrio ecologico. Produzimos uma quantidade enorme de lixo e destruimos nossas florestas sem nos pensar o que podemos desencadear.
    O video "Historia das coisas" aborda de uma maneira interessante e investigativa o que ocorre em cada etapa da producao de objetos industrializados, que dominam nosso dia-a-dia. E muito importante percebermos que cabe a nos mesmos cuidar do mundo que e nosso, pois com sua destruicao todos somos prejudicados.

    ResponderExcluir
  11. O vídeo "História das Coisas" leva-nos a refletir sobre o que estamos fazendo com os recursos naturais finitos de nosso planeta, e mais, desperta-nos a vontade de agir, de fazer algo para mudar essa situação. É impressionante como não paramos para refletir a respeito do preço real das mercadorias, de onde elas vêm e para onde vão. Depois de ver o vídeo comecei a pensar se vale mesmo a pena consumir alguns produtos que não são totalmente necessários. Reciclar e reutilizar é importante, mas mais importante ainda é conscientizar as pessoas dos perigos e consequências de uma sociedade consumista. Devemos ser realistas e solidários com as gerações seguintes. Um pequeno esforço diário de cada um pode contribuir para uma preservação racional da biodiversidade do planeta.

    ResponderExcluir
  12. Atualmente, vivemos em um mundo extremamente capitalista em que todas as atenções estão voltadas para o consumismo. O vídeo "História das coisas" mostra bem como a todo momento somos estimulados a comprar, e cada vez que gastamos, trabalhamos mais para conseguir e pagar, chegamos em casa e somos atacados por mais propagandas que nos fazem querer comprar, então compramos e trabalhamos mais, e isso se torna um ciclo. O que muitas vezes esquecemos é de parar pra pensar de onde vem todas essas coisas que compramos incessávelmente, e por isso não percebemos que essa produção acelerada priorizando sempre o lucro, não se preocupa com os recursos naturais que possuímos, e que devido a isso, estamos acabando com o nosso planeta. Portanto é necessário que paremos e pensemos que devemos fazer nossa parte e dar mais atenção a práticas como a reciclagem e a reutilização, além de mudarmos a lógica capitalista que nos faz sempre querer novos produtos apenas para competirmos com outras pessoas e não pelo fato de realmente precisarmos!

    ResponderExcluir
  13. o vídeo "A história das coisas" traz consigo várias informações importantes, ele mostra que o sistema de produção é linear, mas nós vivemosos vivemos em um planeta finito, que vai esgotanto seus recursos minerais de uma maneira muito rápida; 33% dos recursos naturais simplismente acabaram, a cada minuto que se passa, 3 mil árvores são retiradas da Amazônia, isso é um absurdo! As potências mundiais demonstram que se preocupam muito mais com o lucro do que com a natureza! Se todos consumissem com o ritmo daqueles que vivem nos EUA, seria preciso existir de 5 planetas para suportar tal demanda! Os governos e as corporações capitalistas se preocupam exclusivamente com o consumidor, eles fazem de tudo para incentivar o consumo! O americano é bombardeado com cerca de 3000 propagandas em 1 ano.. na hora do lazer as pessoas reservam uma parcela significativa de seu tempo para consumir, comprar. Isto quanto elas podem comprar poque grande parte da população ainda vive em um estado de miséria absoluta , trabalhando em fábricas e se entoxicando com as toxinas liberadas por estas! Outro problema é a poluição, o lixo não pára de ser produzido e ele acaba poluindo o solo, a água e o ar. Este fato contribue muito para o aumento do número de radiações nocivas para o ser humano, que, por sua vez é capaz de aumentar o número de doenças como o câncer! Temos que tomar consiência destes problemas e agirmos o mais rápido possível! Vamos lutar a favor do nosso planeta!

    ResponderExcluir
  14. É um absurdo o fato de nós consumirmos tanto e nos destinarmos apenas ao consumo sem ao menos nos importarmos para onde irá todo o lixo. Não percebemos que com isso já estamos predestinando nossas futuras gerações à doenças, intoxicações(principalmente através do leite materno) e muito desperdício. Somos bombardeados por todos os tipos de poluições a cada segundo e nem ao menos paramos para refletir. Achei interessantíssimo que o vídeo "A história das coisas" esteja sendo passado nas escolas americanas, mas seria ainda mais interessante se ele também fosse exibido nas escolas daqui do Brasil ou até mesmo que um novo vídeo fosse criado de acordo com a realidade brasileira (que em termos de consumo, não se encontra tão longe da americana). Conscientização é um caso sério, e pelo visto esse mundo ainda está de brincadeira. As providencias que devem ser tomadas já são para ontem, é preciso agir e agir agora. Para isso será preciso despertar do ciclo ditado pelo capitalismo (trabalho> casa > televisão > anuncios > compras > trabalho) e procurar não apenas reciclar (o que já parece ser ultrapassado), mas reutilizar e achar novas fontes de energia. A diminuição do consumo pode parecer impossível, mas não é. A força de vontade de salvar o planeta em que vivemos deveria ser maior do que a força de sair da frente da televisão e correr para a loja mais próxima.

    ResponderExcluir
  15. O video “A história das coisas” mostra como o ser humano só está preocupado com um mundo materialista,se mostrando totalmente consumista.O vídeo mostra de forma clara que as pessoas então num ciclo vicioso:a propaganda de um produto que “está na moda” aparece na TV.Essa pessoa é então induzida a comprá-lo,e para isso trabalha até conseguir o dinheiro necessário.Quando ela já está apta a adquirir o produto,ela descobre que existe outro mais novo e assim fecha o ciclo.
    Muitas vezes não paramos para pensar como a retirada da matéria prima para a fabricação de uma mercadoria pode ser prejudicial à natureza. Além disso,as indústrias emitem gases poluentes que causam grandes problemas ambientais como a intensificação do aquecimento global,que é algo muito discutido atualmente.
    É preciso que as pessoas tomem consciência da importância de reduzir o consumo,reciclar,reaproveitar para que se possa garantir o futuro do nosso Planeta.

    ResponderExcluir
  16. Após assistir ao video "A história das coisas" me senti no dever de nao apenas comentar, como muitos ja fizeram, mas de fazer um apelo sincero e desesperado. Nao é de hoje que ouvimos falar dos problemas sociais, culturais, economicos, politicos, entre outros, da nossa sociedade. Nem das consequências graves que esses poderão gerar, como catástrofes naturais nunca antes presenciadas, alarmantes aumentos nos niveis de temperatura, possiveis extinções de espécies e níveis cada vez mais absurdos de poluiçao.
    Mas parece que isso ainda nao causou o impacto necessario no planeta para que algum plano de grande escala seja posto em prática pelos governos de todas as nações afim de recuperar e preservar as belezas e recursos, ainda restantes e indispensaveis à vida do ser humano, do planeta.
    Uma sociedade consumista e irresponsavel. Essa é a nossa realidade. Mas que, apesar de ainda timidamente, ja está sendo mudada. Aqueles que são realmente engajados em projetos e ações para salvar planeta estão, com certeza, na vanguarda de uma revoluçao na sociedade atual. É inadimicível a passividade da populaçao frente a uma questao de tamanha magnitude. A cooperação de todos é indispensável. Reciclagem, economia de energia, água, recursos finitos, e uma redução no consumo de maneira geral, sao alguns exemplos de atitudes simples q podem ser tomadas por todos. Isoladas significam pouco, mas juntas, farão toda a diferença.
    Vivemos um "sistema linear" em um planeta onde os recursos sao finitos. A lógica nos mostra com clareza que sem mudanças drásticas, logo chegaremos ao fim da linha.

    ResponderExcluir
  17. Acredito que o video "A história das coisas" sintetizou o que há algum tempo, muitas pessoas sabiam sobre a situação dos recursos naturais do planeta. O vídeo é importante porque mesmo sendo sobre algo que a mídia já vem alertando, ele chama mais a atenção para a gravidade do problema.
    Realmente, é necessário que haja uma mudança de hábitos de toda a população porque como o sistema capitalista de consumo é linear e nossos recursos naturais são finitos, não será possível continuar sustentando o estilo de vida que grande parte das pessoas levam.
    Dessa maneira, a simples adoção dos 3 Rs (reduzir, reutilizar e reciclar) nas nossas vidas já é um grande passo para que possamos reduzir o impacto das nossas ações sobre o meio ambiente. É preciso que nossas ações, principalmente com relação ao consumo, sejam humanizadoras, ou seja, que visem não só o bem pessoal, mas um bem comum, respeitando a natureza.

    ResponderExcluir
  18. O vídeo "A História Das Coisas" nos alerta e nos faz refletir sobre o atual sistema ao qual todo o mundo está subordinado. Sistema esse que já apresenta inúmeros sinais de crise e grita por urgentes mudanças, uma vez que ele faz a vida se chocar com seus limites, trazendo, como consequências, desde as mudanças climáticas até o decréscimo de felicidade. A primeira, de ordem ambiental, porque o consumo desenfreado está levando, cada vez mais, à escassez de recursos naturais e à destruição do nosso grande bem:o Planeta. A segunda, de ordem socioeconômica, porque o motor do sistema é o consumo, que nos faz querer trabalhar mais para adquirir novos produtos, os quais supostamente nos deixariam mais felizes. Contudo, trabalhando tanto, não temos tempo livre para ficarmos com quem gostamos ou fazermos aquilo nos é prazeroso. È aí que essa lógica se inverte, e a “taxa” de felicidade cai significativamente. Vale ressaltar que, tanto as conseqüências de ordem ambiental quanto as de ordem social e econômica, estão inter-relacionadas, tendo, como principal causa, o consumismo desenfreado que o mundo capitalista faz questão de manter e que é estimulado, de forma incessante, pela mídia. Além disso, nosso campo de visão se limita à etapa do consumo e por não nos darmos conta dos processos de produção e de eliminação dos produtos, nos esquecemos do fato de que, quanto mais consumimos para adquirirmos felicidade, mais destruímos este mundo. Por isso, devemos nos livrar dessa mentalidade, através de um importante processo de conscientização, a fim de que medidas necessárias sejam tomadas. Criar um novo sistema já não pode ser apenas um sonho; deve-se tornar uma ação concreta, visando à sustentabilidade e a preservação do planeta enquanto há tempo.

    ResponderExcluir
  19. Apesar de exagerado e sensacionalista, o vídeo em questão ajuda na reflexão sobre o mundo consumista em que vivemos. Se continuarmos nesse ritmo, com certeza esgotaremos os recursos naturais que permitem nossa sobrevivência bem antes do que deveríamos (se é que deveríamos). O fato é que nos encontramos num dilema entre o progresso (leia-se: o lucro) e a preservação. Considerando-se que, sem a preservação do planeta, o progresso acabará por também cessar, faz sentido pensar em um dilema entre o curto-prazo e o longo-prazo. Podemos todos nos esbanjar agora e sofrer as consequências depois, ou manerar nossas atitudes a partir de hoje, a fim de evitar um fim desastroso da sociedade como a conhecemos. Não basta, porém, propor a reciclagem ou a conscientização. São medidas que colaboram, é claro. Mas o que as nações vêm buscando desde as primeiras cúpulas internacionais sobre o meio-ambiente é justamente uma maneira de conciliar o avanço da indústria, da economia e do mercado com a preservação ambiental. E tal tarefa tem se mostrado um grande desafio, quem sabe o maior da atualidade.

    ResponderExcluir
  20. A análise feita pelo vídeo "A história das coisas" nos leva a refletir sobre o mundo em que vivemos. Propagandas por todas as partes nos levam a querer consumir cada vez mais, causando problemas cada vez maiores no planeta em que vivemos. O lucro do capitalismo atropela a preservação do meio ambiente e a conscientização tem de ser rápida. Será que o lucro é tão prazeroso assim? Certamente é, mais a conservação do planeta deveria vir antes na mentalidade das pessoas, para que esse planeta que tanto exploramos continue servindo de abrigo para os consumistas de plantão.

    ResponderExcluir
  21. O video ''A historia das coisas'' mostra como a situçao em que o mundo se encontra é alarmante e que se nao for tomada alguma providencia logo, o mundo se ''acabara em cinzas''. O que é impressionante nesse video sao os dados, como por exemplo o dado sobre o consumo norte americano, seriam necessarias 5 terras se todos consumissem como os estadudinenses. E da ainda uma soluçao bastante interessante para a saida dessa ''crise'' ambiental, mas que talvez seja dificil de ser realizada, pois nela é complicado conciliar desenvolvimento economico e preservaçao da natureza, caso o primeiro nao seja possivel os paises ano adotarao o meio de preservaçao sugerido no video, mas nunca saberemos se nao tentarmos, por isso é necessario que algum país tente primeiro. Só espero que essa tentativa so ano seja tarde demais...

    ResponderExcluir
  22. "A História Das Coisas" reflete o quão explorador e irracional se tornou o sistema ecônomico vigente.
    O capitalismo não prevê medidas para refrear o trabalho "predatório" do homem, pelo contrário, estimula qualquer atividade que, para empresas e gorvernos corporativos, seja fonte de lucro. A grande polêmica em questão, no entanto, é: até que ponto o planeta resiste à nossa espécie? Exploração, produção, consumo e lixo fazem parte de um sistema acíclico que, como o próprio nome sugere, possui um final. Para quem não quer "pagar para ver" e prefere previnir o desastroso fim da humanidade, ambientalistas propõem algo viável (porque a ruptura com o capitalismo é inimaginavel e praticamente impossível): a sustentabilidade. Produzir apenas o necessário, reciclar e utilizar combustíveis renováveis pode ser a alternativa que possibilite a perpetuação do homem no planeta. O desenvolvimento susutentável defende a ideia de que seres humanos e seres ecológicos são interdependentes e, por isso, se ajudam mutuamente. Colaborar com a natureza para que ela nos ajude, assim, é a solução que concilia o desejo de governantes, industriais e ambientalistas.

    ResponderExcluir
  23. O vídeo "História das Coisas" retrata e explica um problema extramamente grave para o planeta e, consequentemente, todos que nele vivem: o desenvolvimento insustentável. É de extrema importância que a população crie uma consciência de que se nenhuma mudança for feita agora, talvez seja tarde demais. Como é explicado no vídeo, vivemos em um planeta finito. Sendo assim, não se pode gerir um sistema linear de produção como o atual. Deve-se criar um novo sistema, que seja cíclico e, assim, possibilitar a reutilização dos materiais, que, de alguma forma, retornarão ao seu estado inicial. A princípio, a idéia pode parecer absurda, mas não é. Estamos tão acomodados e acostumados à lógica capitalista que sequer admitimos a idéia de uma nova realidade. É importante lembrar, porém, que a lógica capitalista não nasceu juntamento com o planeta. Ela foi CRIADA por nós, homens, e, certamente, antes de sua criação a idéia era considerada absurda. Portanto, concluo que SIM! É possível e extremamente necessário fazer algo pelo nosso planeta. “Há quem diga que é irrealista, idealista, que não pode acontecer. Mas eu digo que quem é o irrealista é quem quer continuar pelo velho caminho; isso é que é sonhar. (...) vamos criar algo novo.”

    ResponderExcluir
  24. Realmente "História das Coisas" como título não ficou adequado, o certo talvez seria: as coisas do mundo capitalista, já que o vídeo mostra todos os processos de produçao das "coisas" nos dias de hoje e, como nós humanos não nos importamos com o meio ambiente. O video parece ser um pouco dramático em certos aspectos ,mas nao pode ser julgado como exagerado. O drama se deve ao publico alvo , que é principalmente os americanos, que levam uma vida sem preocupaçoes ambientais e o destino do nosso planeta também depende deles. Enfim, nós também devemos mudar nosso sistema de produçao e ampliar as reciclagens mas essas idéia devem ser pensadas em coletivo , e requer a ajuda de todo o mundo , inclusive a dos Estados Unidos.

    ResponderExcluir
  25. O filme "História das Coisas" nos mostra que devemos tomar cuidado com as atitudes que tomamos, pois elas podem de uma forma ou de outra acabar afetando tanto a nossa vida quando a dos outros. O filme aparenta ser um pouco dramatico, mais na verdade esta apenas retratando a realidade. Devemos criar um consciencia e passar a pensar nos outros antes de simplismente consumirmos sem nenhum proposito, sem pensar de onde surgiram todas aquelas coisas. Devemos nos conscientizar e tentar mudar o mundo, para conseguirmos o tempo a mais de "vida para a Terra".

    ResponderExcluir
  26. Quero dizer a vocês, alunos(as)do Loyola, que fiquei muito feliz ao ler os comentários. Isso confirma a minha crença no potencial critico e na lucidez das novas geraçóes. Sim, é possível e necessário fazer algo pelo nosso planeta. Quem puder aderir à campanha do Tic-tac (ver no blog), vai fazer um gesto concreto, em vista do encontro internacional de Copenhague, ao final do ano. Obrigado!

    ResponderExcluir
  27. O curta "História das Coisas" explica o funcionamento da economia de materiais e debate, principalmente, a viabilidade do "American way of life", uma vez que a autora tem como principal objetivo conscientizar e mobilizar o povo americano, que é o maior responsável pelo consumo dos recursos naturais e destruição do mundo. Ao fim, ela sugere soluções para essa infeliz realidade atual.

    ResponderExcluir
  28. Apesar de se apresentar como uma grande hipérbole, a tese do curta "História das Coisas" é plausível. As riquezas minerais e naturais presentes no planeta Terra são esgotáveis, e esse padrão logo se confirmará caso não haja uma mudança - radical ou não - nos padrões de vida de parte da população humana. Infelizmente, grande parte das argumentações presentes no filme não podem ser adequadas ao Brasil, visto que nosso consumo é incomparável ao dos países desenvolvidos, especialmente ao dos Estados Unidos. Enfim, é possível perceber que os atuais padrões de produção e consumo tem seus dias contados. Até lá, apenas nós poderemos decidir, através de nossas ações para com o planeta, se esse fim será pacífico ou desastroso.

    ResponderExcluir
  29. O curta "Histórias das Coisas" mostra à nós, atráves de fatos, uma realidade a respeito do consumiso e dos meios esgotáveis do nosso ambiente. Muitas pessoas preferem aderir a esse consumismo exarcebado, ou seja, sempre querem ter do bom e do melhor, e para isso, buscam novos meios de ganhar dinheiro para conseguir adquirir esses produtos. Mas o que elas não param para pensar é que as indústrias que os fabricam também visam somente o bom e o melhor para elas mesmas, e para isso acabam destruindo, desmatando, acabando com os recursos naturais esgotáveis do nosso planeta.Porém, não podemos comparar o consumismo mostrado no curta com o consumismo brasileiro, visto que o consumismo americano é muito maior que o nosso consumismo por ser um país desenvolvido. Podemos concluir também que esse meio de produção e consumismo americano tem seus dias contados.

    ResponderExcluir
  30. Sem dúvida esse vídeo nos força a refletir sobre o que estamos fazendo, como estamos destruindo o propio ambiente em que vivemos, nossa propria casa. O ser humano é a única espécie que conheço que tem o hábito de destruir o próprio habitat. As outras espécies não praticam esse hábito por um motivo simples: é irracional. Listam milhares de motivos para a degradação do planeta, mas nenhum que realmente justifique essa prática. Cuidar do ambiente deveria ser a prioridade, já que dependemos dele para sobreviver. Soluções para o problema não faltam. Ambientalistas sugerem novas idéias todos os dias. O passo mais difícil de ser dado é a coragem, por parte dos governantes, para tomar as devidas medidas. Acredito que a batalha não seja contra as grandes companhias que poluem e degradam o meio ambiente, mas sim contra o medo que os chefes de estado têm de abrir mão de seus "estáveis" planos econômicos, que envolvem a degradação do planeta para obter bens de consumo.

    ResponderExcluir
  31. Quando assisti ao vídeo do tópico pela primeira vez, senti-me revoltado e ao mesmo tempo com um sentimento de cúmplice de todo aquele conflito retratado. No entanto, ao pensar mais sobre o assunto, percebi que atos bem semelhantes estão tão incorporadas à personalidade das pessoas (incluindo até eu nessa!) que, quando visualizamos explicitamente o que tanto causamos indiretamente, evidencia-nos sentimentos de raiva (em vez de o sentimento de culpa que seria o mais condizente).
    Exatamente atos como:
    consumismo em excesso, utilização de produtos piratas e falsificados (ps: atire a primeira pedra quem nunca baixou uma música na internet!), tentativa de se conseguir o menor preço possível, são alguns dos inúmeros atos que tanto exercemos que contribuem significativamente aos conflitos retratados em "História das Coisas".
    Por isso, em vez de se ter aquela visão hipócrita de que as causas desta "realidade capitalista" se restringe às pessoas, é necessário que se pense qual sua influência nesse problema, e o que fazer para melhorar.

    ResponderExcluir
  32. Na verdade, é fácil explicar o drama de "História das Coisas". Considerando o exposto no video, basta levar em conta o tão comum sensacionalismo americano para entender que o drama é necessário ao país para o qual ele foi produzido. Os Estados Unidos são, ao mesmo tempo, os criadores e as maiores vítimas de tudo isso, ao se verem escravos do consumismo que eles mesmos instalaram. O Drama do video é necessário, sim, para impressionar, mesmo. Verdade que exageraram muito em diversos momentos, como quando colocaram os tóxicozinhos em todos os produtos do supermercado, mas, sem ele, os americanos, entorpecidos por tanta propaganda e tamanho consumismo, não entenderiam o quão grave é a situação. Para isso, o video apenas deixa bem claro como, se não tomarmos muito cuidado, logo teremos nossos recursos naturais aprisionados no lixo que produzimos e não nos sobrará matéria nova para produzir. É interessante essa forma como, ao invés de falar de como a energia utilizada no mundo(principalmente o petróleo) não é renovável, O Vídeo fala da Matéria em geral, que não é reciclável. Algo, que, sem dúvidas, é um problema infinitamente maior, já que não adianta de nada que no mundo "nada se crie e nada se destrua, tudo se transforme", se chegarmos ao ponto de não mais conseguir transformar o que já produzimos, como é o caso do lixo que não conseguimos reciclar.

    Ps. EXCELENTE a gravação do tickticktick, já tinha visto, já baixei a música e tal, também recomendo a todos.

    ResponderExcluir
  33. O vídeo "A história das coisas" trata de um assunto que é dos mais importantes para a humanidade. Ele analisa como estamos vivendo hoje e como isso afetará nosso futuro.
    Estamos passando pelo auge da era capitalista, que implica no auge do consumismo. O objetivo de lucrar está atropelando todos os outros conceitos. A ética, a saúde, a liberdade, o respeito, estão sendo deixados de lado para a busca de um desenvolvimento sem fim.
    O vídeo mostra, além de todos esses problemas, a insustentabilidade que esse sistema no qual vivemos hoje apresenta. A quantidade de matéria prima que está sendo utilizada é absurda, e nosso planeta não aguentará fornecê-la por muito mais tempo. No entanto, a mídia só faz com que essa demanda aumente, bombardeando-nos todos os dias com os ideais consumistas, estimulando-nos a consumir mais e mais produtos e cada vez considerá-losmais descartáveis.
    Continuando desta maneira, a sobrevivência da humanidade será impraticável. Devemos refletir sobre os pontos apresentados no vídeo e começar cada um de nós a fazer nossa parte e contribuir para alcançarmos um desenvolvimento saudável e sustentável.

    ResponderExcluir
  34. p.h.m.m.p loyola disse...
    O vídeo "A história das coisas" apesar de ser um pocu radical na minha concepção ilustra muito bem a situação que homem se encontra em relação às relações ecologicas que o homem vem estabelecendo com o intenso extrativismo.
    O video ilustra muito bem esse aspecto e expõe do forma clara os pontos negativos da exploração do homem na natureza.
    O importante é que as pessoas parem, pensem e revejam seus atos consumidores, e nocivos ao ambiente, e como poderiam contribuir para amenização do fato.

    ResponderExcluir
  35. O vídeo "A História das Coisas" nos faz refletir nos vários defeitos que a economia de materiais apresenta. De fato, estamos consumindo muito, deperdiçando recursos, prejudicando a natureza, nossos governantes buscam atender mais a vontade de grandes corporações do que a vontade da população em geral. Concordo que deveríamos mudar nossa mentalidade e agir para a construção de um mundo melhor. É difícil mobilizar tantas pessoas,não é impossível.

    ResponderExcluir
  36. o video "historia das coisas" nos leva ao pensamento de que nos, humanos, somos cada vez mais consumistas, e esquecendo do que esta acontecendo com o nosso planeta. apesar bastante radical na minha opiniao, esse video reflete bem a ideia de que tdos nos estamos se esquecendo da natureza, consumindo mais do que deveriamos e a verdade é q a parcela das pessoas que ligam pra isso eh muito pequena. para o bem de todos nos, devemos comecar a rever os nossos erros e tomar atitudes contra esse grande consumismo, se nao logo teremos o nosso lar, o planeta terra, destruido

    ResponderExcluir
  37. O vídeo "A História Das Coisas", embora um pouco dramático, é bastante realista e traduz com palavras o que o sistema capitalista vem fazendo desde o seu início. O consumo escessivo que esse sistema incentiva mascara todo o processo necessário para que os produtos cheguem às mãos das pessoas. O esgotamento dos recursos naturais (bem como a não renovação da maioria deles), a poluição gerada por fábricas e outros meios de produção e a os operários explorados, dentre outros fatores, não são levados em conta pela sociedade no momento de adquirir um produto. Não porque a sociedade não queira, mas devido à capacidade que o capitalismo tem de esconder os inúmeros prejuízos que movimentam a indústria do consumo.
    A ideia de que os recursos naturais (em sua maioria) não são renováveis e que o lucro de tão poucos empresários é ostentado pela exploração de milhares de trabalhadores deve ser bastante digerida pela sociedade, principalmente pelos seus jovens, para que, num futuro (se Deus quiser) não muito distante, o desenvolvimento sustentável seja algo já incorporado à vida de todos e capaz de tirar o risco do fim da vida do planeta Terra.

    ResponderExcluir
  38. Depois de assistir o vídeo "A História das Coisas", dessa vez com mais atencão, me veio um sentimento de revolta por saber que também estou contribuindo com a destruição do nosso planeta. I ideia de que nossas próximas gerações vão ser as mais prejudicadas é perturbadora, pois além de estarmos destruindo o planeta hoje, as principais consequências só vão aparecer daqui a 20, 30 anos (se a Terra sobreviver até lá).
    Não devemos deixar para amanhã o que podemos fazer hoje, por isso é de extrema importância divulgar essa ideia de um planeta sustentável e acima de tudo, praticar os três Rs ( reciclar, reduzir e reutilizar).
    Nós que somos o futuro, que estamos escolhendo nossas profissoes agora, devemos pensar também nessas quetoes ecológicas e nos dedicar à isso no futuro, como, por exemplo como reduzir a emissão de poluentes ou a contrução de casas ecológicas.

    ResponderExcluir
  39. "a história das coisas" trás uma bala informação para nós que habitaremos o mundo nas proximas dácadas.temos que passar a questionar a origem das coisas que consumimos, para termos consiencia de como usar de forma correta e como fazer pra não deixar que tal produta caia na linha reta, e sim no ciclo. Uma ideia simple que muitas vezes esquecemo.Na terra a natureza funciona como um ciclo onde algo teve que se desfazer ou morrer para vc poder ser criado, e vc terá que morrer un dia para dar continuidade ao ciclo.Uma grande parte do que produzimos e usamos não volta para o ciclo natural e interrompe a caminhada natural retardando o desenrolar da vida.Não somos os maiores culpados mas também nao somos os menores.Sabemos que os que detêm o poder das grandes potências principalmente nos E.U.A.devem adotar medidas de melhoramento ,pois se não eles mesmos , em todo seu egoísmo, vão provocar uma terceira guerra mundial por querer buscar recursos nos países que souberam tomar conta de seus patrimonios naturais.

    ResponderExcluir
  40. "a história das coisas" trás uma bela informação para nós que habitaremos o mundo nas próximas dácadas.temos que passar a questionar a origem das coisas que consumimos, para termos consciencia de como usar de forma correta e como fazer pra não deixar que tal produto caia na linha reta, e sim no ciclo. Uma ideia simple que muitas vezes esquecemos.Na terra a natureza funciona como um ciclo onde algo teve que se desfazer ou morrer para você poder ser criado, e você terá que morrer un dia para dar continuidade ao ciclo.Uma grande parte do que produzimos e usamos não volta para o ciclo natural e interrompe a caminhada natural retardando o desenrolar da vida.Não somos os maiores culpados mas também não somos os menores.Sabemos que os que detêm o poder das grandes potências principalmente nos E.U.A.devem adotar medidas de melhoramento ,pois se não eles mesmos , em todo seu egoísmo, vão provocar uma terceira guerra mundial por querer buscar recursos nos países que souberam tomar conta de seus patrimonios naturais.

    ResponderExcluir
  41. vá pra puta que pariu seu bando de baitola

    ResponderExcluir
  42. Infelizmente vivenciamos nossa realidade com esse vídeo, cada vez mais a ganância e a falta de amor próprio tem levado a população mundial as mais perversas atitudes com o nosso planeta, e pasmem amigos nosso pais e o 4ºlugar do raking dos poluidores responsável pelo aquecimento global.Cop 15 apenas nosso dinheiro gasto para não termos uma solução,então faço um apelo tente vc fazer essa diferença faça vc a sua parte pela menor que seja com certeza e grande para o nosso planeta,acredito que se pelo menos conseguirmos manter as temperaturas nesse padrão já é um bom sinal pois se a temperatura aumentar 2º graus em 50 anos teremos sérios problemas,faça sua parte o planeta agradeçe

    Sds Leandro Martins

    ResponderExcluir
  43. Muito bom, mas oq estamos fazendo para reverter essa situação?

    ResponderExcluir
  44. bando de viado deixa o mundo pegar fogo assim rodo mundo fica qentinho junto com o capeta kkkk

    ResponderExcluir

Coloque aqui seu comentário